• IATEL

Medicina Humanizada: como assim?

Atualmente é comum escutarmos sobre a necessidade de implantação da medicina humanizada na saúde pública e privada. Mas a medicina não deveria ser naturalmente humana? A resposta é não! A medicina como mecanismo social de poder e de controle dos corpos, mentes e grupos, precisa ser uma profissão desumana, agir com arrogância e descaso. É na desumanidade que a medicina alopática universalista garante sua supremacia, riqueza e sobrevivência. É a chamada medicina da doença, iatrogênica, sem nenhum interesse por pessoas e tampouco pela vida. Seu interesse é apenas lucrar com as inventadas doenças. É a medicina cuja primeira tarefa é te convencer delicadamente ou não da sua ignorância e da sua incapacidade sobre você. Pois te derrubar e te ter nas mãos é primordialmente estratégico. É a medicina que nada faz para gerar saúde, vive à custa da dor e do sofrimento alheio. É a medicina dos médicos relapsos e descontrolados dos hospitais infectados lotados de doentes jogados pelos corredores. Mas rapidamente, na troca de turno, depois de alguns entorpecentes, se transformam em pessoas sorridentes das clínicas luxuosas que mantém os pacientes até suas rendas esgotarem. É a medicina à qual tudo tem um remédio, mas nada tem cura. É a medicina defensora de um médico para tudo, mas não para todos. É a medicina dos estudantes idealistas e sonhadores rapidamente classificados pelos mestres como incompetentes não vocacionados, então padecem e morrem. Dos estudantes materialistas, vazios, abestalhados e educados para almejar riqueza por pais fracassados, depois de alguns anos tornam-se doutores condecorados. Tornam-se ginecologistas estupradores. Cirurgiões a navalhar obcecadamente corpos por ganância e a amputar órgãos sadios. Intensivistas que divertida e aleatoriamente decidem abandonar ao acaso seres em condições de fragilidade e desvantagem. Simplesmente médicos incapazes de acolher, escutar, examinar e tratar com zelo seus pacientes. O médico da doença é desumano porque humanidade não é especialidade médica. É desumano porque lhe ensinam a acreditar na sua superioridade em relação aos outros. Porque o comparam ou o definem como Deus. Portanto, essa medicina da doença à qual convivemos remotamente todos os dias, nunca será humanizada. Por isso é necessário aprender urgentemente a cuidar da saúde desde cedo, mas isso requer reconhecer-se como ser da natureza e com ela desenvolver sabedoria


Roberto Pacheco.


10 visualizações

© 2018 por Eduardo M. Silveira.