Hoje cedo, dia 15 de setembro de 2020, quando chegava ao IATEL para mais um dia de trabalho, fui surpreendido com a notícia de que a amiga e brilhante Fonoaudióloga Idelma tinha falecido. Que perda! Que dor! Idelma foi uma das minhas grandes mestres no curso de Fonoaudiologia da UNIVALI na década de 90, época de formação sólida: humana e social. Época em que estudos e alegrias se entrelaçavam. Ciência e Arte. Ela foi a primeira pessoa a me oportunizar na área da fonoaudiologia abrindo as portas da sua clínica, a clínica central em Itajaí. Na ocasião me senti uma das pessoas mais importantes do mundo, disse a todos... “vou trabalhar com a minha professora”. Nessa época nos emocionávamos com gentileza, respeito, cumplicidade, amizade, reconhecimento, enfim, todas essas coisas tão esquecidas no mundo atual, mas que a querida Idelma praticava dia a dia todas elas. Amiga Idelma, ainda bem que consegui te agradecer por essa oportunidade impar de conviver contigo. Porém, infelizmente há anos não nos víamos, e o tempo passou tão rápido... agora só me resta memória. Aprendi contigo, Idelma, muito mais do que lições sobre voz, aprendi a ser mais gente, a ser terapeuta e entender a nobre missão de cuidar do outro. Lembro-me de você cuidadosa me levando a entender a espiritualidade não percebida pela frágil observação dos nossos olhos. Ah! querida Idelma, sempre viverás no meu coração. Para você, recito silenciosamente um poema que envolve um dos tantos aprendizados que tive contigo:

Tudo tem início, até o fim.

Tudo tem fim, até o início.

Início e fim são coisas em constante movimento evolutivo.

Por isso absolutamente tudo no tempo e no espaço é recomeço.

(Roberto Pacheco).


58 visualizaçõesEscreva um comentário

A acupuntura é uma terapia Milenar da Medicina Tradicional Chinesa com evidências históricas e científicas. Por isso tanto a medicina convencional quanto as demais áreas da Saúde a reconhecem e a regulamentam nas suas áreas de atuação. Para muitos, a principal função da acupuntura é promover a saúde fortalecendo a vitalidade do indivíduo. Nesse sentido, é um importante recurso de saúde para a imunidade e, consequentemente, para o tratamento de desequilíbrios físicos e emocionais. A China associou a Medicina Tradicional Chinesa/Acupuntura à Medicina Convencional para enfrentar a pandemia do COVID 19, obtendo resultados significativos com essa associação, como pode ser apreciado no artigo referente as "diretrizes sobre intervenção na acupuntura e moxabustão para COVID-19 (segunda edição)", disponível em https://incisaimam.com.br/diretrizes-sobre-intervencao-na-acupuntura-e-moxabustao-para-covid-19-segunda-edicao/ Portanto existem protocolos de acupuntura disponíveis para contribuir no enfrentamento da COVID 19, tanto no sentido preventivo quanto curativo. Porém, esses protocolos não estão descontextualizados da ancestral racionalidade médica chinesa e das demais terapias que compõem essa racionalidade, como a fitoterapia, dietoterapia, terapia corporal e moxabustão. Vale destacar também, que tais protocolos não confrontam com a medida de isolamento social adotada pela maioria dos países e demandam obviamente todas as medidas de biossegurança já conhecidas. Existem ainda várias terapias integrativas que podem ser associadas à acupuntura, sem contraindicações, visando somar forças com a saúde pública no controle desta pandemia. Vale ressaltar que a Medicina Chinesa/Acupuntura integra a lista de estratégias em saúde do Sistema Público de Saúde - SUS, através da Portaria Nacional número 971, de 03 de Maio de 2006: Políticas Integrativas e Complementares de Saúde - PNPICs. Para finalizar, a acupuntura e técnicas associadas devem ser utilizadas no enfrentamento da COVID 19, sobretudo pela ausência de medicamentos e vacinas. Entretanto, isso não significa que essas terapias matem o coronavírus ou impeçam a sua contaminação, mas simplesmente que elas ajudam na imunidade da pessoa para enfrentá-lo.


211 visualizaçõesEscreva um comentário

© 2018 por Eduardo M. Silveira.